Sistema sanguíneo pode ser prejudicado com obesidade causando até leucemia

O câncer pode ter suas chances de aparecer devido a obesidade causar prejuízos ao sistema sanguíneo, segundo novo estudo publicado no Journal of Experimental Medicine. Testes realizados com ratos mostraram que o sobrepeso a longo prazo pode prejudicar a diversidade saudável que o sangue produz através da células-tronco hematopoiéticas. O organismo fica mais vulnerável a desenvolver leucemia.

O principal autor do estudo, Damien Reynaud, também pesquisador do Hospital Infantil de Câncer do Sangue Cincinnati, ressalta que o compreendimento das células-tronco é constituído por subconjuntos de células numeradas. “Manter esses compartimentos saudáveis é essencial para saúde humana, incluindo a manutenção do vasto conjunto de estruturas hematopoéticas”.

No teste com ratos foi possível identificar que o estresse oxidativo que tem ligação com a obesidade altera a estrutura celular das células-tronco hematopoiéticas e diminui de maneira progressiva a tendência funcional dessas estruturas. Esses prejuízos a saúde continuaram mesmo após os animais normalizarem o peso através de dietas.

Essas alterações podem ter ligações com a alta expressão de um fator conhecido como Gfi1, segundo os autores, pois esse é um gene que regula os outros genes orientando eles dentre suas funções no corpo. A obesidade por causar estresse oxidativo, leva a superexpressão do Gfi1 no organismo causando um caos celular na produção de sangue.

Essa pesquisa possibilitou a equipe o fornecimento de informações para a verificação, tais como o estilo de vida de cada pessoa, dieta e atividades físicas, podem afetar sua saúde e a formação do sangue. “Sabemos pouco sobre a obesidade em doadores de medula, que pode afetar a qualidade do compartimento de células-tronco hematopoiéticas”, disse o pesquisador que completou  “Queremos entender melhor as alterações moleculares na obesidade para prever riscos potenciais associados ao uso terapêutico de células-tronco isoladas de doadores obesos.”

A leucemia normalmente tem sua origem desconhecida, que ocorre quando os glóbulos brancos são deixados de lado na função de defender o corpo e acabam produzindo de maneira descontrolada na medula óssea.

Um dos principais sintomas da leucemia é infecções frequentes, sangramento gengival e no nariz, marcas roxas pela pele e fadiga. O seu tratamento é realizado fazendo com que a medula volte a produzir células normais e destruir as células doentes.

No ano passado, o Instituto Nacional do Câncer registrou 10.070 casos novos da doença no país, sendo desse total 5.540 homens e 4.530 mulheres.