Felipe Montoro Jens traz informações sobre a construção da Ferrovia Ferrogrão

Ao que tudo indica, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fará em breve um leilão para a construção da Ferrogrão, também chamada por outras denominações, tais como EF-170 ou Ferrovia do Grão. O especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens, reporta que se trata de uma obra de grandes proporções, uma vez que atravessará dois estados, Pará e Mato Grosso. Em relação à extensão do que se planeja conferir ao trajeto ferroviário, há a estimativa de que esta ultrapassará 1.000 km, transitando por áreas de floresta.

Felipe Montoro Jens ressalta que o governo estima que a concessão da Ferrogrão tenha um prazo de 65 anos. Ficou também decidido que o vencedor do leilão será aquele que ofertar o maior valor de outorga, que terá início com um lance de R$ 0,01, mas que deverá ser sucedido por outros lances muito maiores, esclarece o especialista em Projetos de Infraestrutura. Além de construir a ferrovia, a concessionária vencedora responderá pelas atividades de operação da ferrovia.

Para que os planos da ANTT sejam postos em prática, já começaram os estudos para análise das condições de viabilidade da obra. Este e outros empreendimentos são parte integrante do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), promovido pelo governo federal. No caso da Ferrogrão, o montante a ser investido é de pouco mais de R$ 12 bilhões, dadas as grandes proporções da obra. Felipe Montoro Jens destaca que o retorno sobre o investimento, por sua vez, virá das atividades de exploração da ferrovia.

O valor investido, conforme informações contidas no portal do PPI, não se restringirá apenas à construção da nova ferrovia. Segundo informa o programa governamental, o investimento deverá contemplar também os serviços de desapropriações, terraplanagem, sinalizações da área, compra de materiais, contratação de mão de obra, além de outras ações específicas. Com isso, estima-se que as construções suscitem uma grande movimentação econômica na região que abrigará a Ferrogrão.

Em 2018, ainda no primeiro trimestre do ano, espera-se que o edital seja publicado e traga todos os trâmites que farão parte do processo de concessão. Felipe Montoro Jens informa que, até o momento, o que se sabe é que a incumbência pelo sistema de remuneração dos agentes que atuarão na construção da ferrovia ficará a cargo da empresa vencedora do leilão, bem como todos os riscos que o empreendimento poderá correr em seu curso.

Embora ainda se trate de um projeto, especialistas realizaram alguns estudos acerca do potencial de operação da Ferrogrão. Dentre os dados levantados, apurou-se que a ferrovia será capaz de transportar cerca de 25 milhões de toneladas de cargas que atravessarão o local anualmente. Felipe Montoro Jens pontua que o volume de transportes poderá sofrer sucessivos aumentos até o ano de 2050, quando se espera que atinja seu ápice.