Luiz Carlos Trabuco deixará a presidência executiva do Bradesco em março de 2018

O diretor presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, foi anunciado como o novo presidente do conselho de administração do banco após a renúncia de Lázaro de Mello Brandão. Em março será escolhido um novo presidente e Trabuco ocupará apenas a vaga deixada por Brandão, uma vez que o estatuto impede que sejam mantidas as duas funções.

De acordo com Brandão, a renúncia foi um ato pensado por ele, para assim, haver uma renovação das lideranças do banco. Ele ressaltou a necessidade de uma renovação prudente para dar seguimento ao trabalho de qualidade desempenhado pela instituição. “É um fato histórico, temos muito zelo na condução do trabalho”, disse ele.

Lázaro Brandão foi presidente executivo entre os anos de 1981 e 1989, quando sucedeu o fundador Amador Aguiar, e presidente do conselho de administração de 1990 até este ano. O executivo afirmou que tomou a iniciativa da renúncia para preservar a presidência das empresas do grupo.

Para ele a sucessão é uma forma de preparar a instituição para as novas disposições do trabalho. Ele completou dizendo que o novo presidente deverá acompanhar os avanços tecnológicos.

O banqueiro começou sua carreira no banco em 1942 como escriturário na Casa Bancária Almeida & Cia. Um ano depois a instituição financeira deu origem ao Banco Brasileiro de Descontos S.A., atual Bradesco. Foram mais de 75 anos dedicados ao banco, o qual ele passou por vários níveis organizacionais até chegar à presidência e agora terá uma cadeira no conselho das empresas controladas pelo banco.

O posicionamento de Luiz Carlos Trabuco Cappi

Em entrevista coletiva, Luiz Carlos Trabuco Cappi afirmou: “É evidente que desde lá no passado, quando Brandão propôs ao conselho minha escolha para vice-presidente tinha um olhar sinalizador com a minha carreira”. Ele elogiou seu antecessor, dizendo a contribuição de Brandão não pode passar despercebida, uma vez que ele participou de grandes momentos da economia nos últimos 75 anos.

Em relação a escolha do sucessor na presidência executiva Trabuco ressaltou que a escolha partirá do corpo de executivos da instituição e que o nome ainda não foi decidido. “Somos um banco que privilegia a prata da casa,” diz ele.

O banqueiro deixará o cargo em março do ano que vem, após a assembleia geral ordinária de acionistas, contudo o anúncio pode ser realizado antes. Para Luiz Carlos Trabuco Cappi o Bradesco apresenta uma grande responsabilidade no Brasil, por isso se faz necessária uma liderança interna, uma “administração contínua e permanente.”

Ele enfatiza que a escolha vai respeitar os talentos da casa, em um processo normal e rotineiro.

Luiz Carlos Trabuco Cappi ingressou no banco em 1969 e passou por diferentes cargos da empresa. Formado pela UNESP em Filosofia, Ciências e Letras, foi escriturário, atuou no setor de comunicação, comandou a Seguros, foi vice-presidente e chegou a presidência executiva em 2009.

Nos últimos meses de sua gestão, Trabuco bateu na tecla da inovação e na “alfabetização digital dos clientes. Seu maior feito no banco foi a condução da compra do HSBC em 2015 pelo valor de US$ 5,2 bilhões. A compra foi considerada a maior transação do ano no país.