Sócio de Ricardo Tosto lança livro sobre contabilidade internacional na esfera jurídica

Em outubro de 2017, o lançamento de um livro movimentou os segmentos contábil e jurídico. Trata-se de uma obra idealizada por Carlos Henrique Crosara Delgado, sócio na advocacia Leite, Tosto e Barros, fundada por Ricardo Tosto. Intitulado de “Contabilidade IFRS e IRPJ”, a publicação trata dos atuais efeitos que a contabilidade internacional tem exercido sobre a tributação da renda. Publicado pela Lumen Juris Editora, o material foi considerado relevante aos profissionais da área, já que trata de um tema que costuma gerar certo grau de indagação acerca de suas aplicações na rotina contábil das instituições.

Para inaugurar a distribuição dos exemplares da obra, houve uma noite de autógrafos na Livraria da Vila, localizada na capital paulista. Delgado esclareceu, dentre outros pontos, o modo como o comportamento dos profissionais do direito se modificou em razão da aplicação do modelo contábil IFRS ter sido implementado no país. Segundo o advogado que atua com Ricardo Tosto, a principal alteração que os juristas apresentaram está na maneira mais frequente com que têm se atualizado tecnicamente. Com isso, o autor acredita que os processos dessa natureza passarão a ser conduzidos de modo mais justo e estruturado.

O livro escrito pelo parceiro de Ricardo Tosto no Leite, Tosto e Barros, já é encontrado em várias livrarias do país. O conteúdo comportado em 316 páginas passou a ser vendido pelo valor médio de R$ 88,00. Com a publicação da obra, Delgado tem por objetivo divulgar algumas informações estratégicas sobre o tema. Além do caráter informativo da publicação, o autor procurou suscitar algumas reflexões e perspectivas no que se refere às práticas contábeis atreladas ao campo jurídico, já que o assunto tratado costuma ocasionar diversos tipos de questionamentos devido sua complexidade de execução.

Antes que começasse a trabalhar exclusivamente no meio jurídico, Delgado exercia atividades de gestão em uma multinacional. Tempos depois, o advogado decidiu firmar parceria com Ricardo Tosto, passando a exercer plenamente suas atividades no segmento. O autor da obra em questão foi aluno da PUC/SP, instituição que adotou para cursar graduação em Direito, além de pós-graduação em assuntos jurídicos ligados ao ramo tributário. A USP também consta em sua bagagem acadêmica, uma vez que obteve o título de mestrado através da universidade.

No Leite, Tosto e Barros, Delgado executou diversos trabalhos considerados emblemáticos. Em um deles, o jurista participou do processo de estruturação de defesa no que diz respeito a clientes autuados em decorrência de assuntos ligados ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. Nessa ocasião, o escritório representou sua clientela em ações ligadas ao segmento sucroalcooleiro.

Na advocacia onde Ricardo Tosto e o autor da obra atuam, há filiais nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, onde as demandas jurídicas são conduzidas por equipes que juntas totalizam 300 profissionais. Dentre estes colaboradores, a instituição conta ainda com um advogado que presta serviços como consultor. A companhia jurídica, contudo, recebe demandas eleitorais, civis, comerciais, trabalhistas, contratuais, sucessórias, bancárias, políticas, ambientais, administrativas, imobiliárias, tributárias, dentre várias outras que possam surgir.

 

Pesquisa revela que visitas em shoppings centers aumentou 1,5% em 2017

movimentação de pessoas nos shoppings centers do país aumentou 1,5% no ano de 2017. O registro demonstra uma recuperação para o setor que vinha sofrendo fortemente com a queda da movimentação de pessoas nesses estabelecimentos em 2016.

O movimento registrado em 2016 teve uma redução de (-3%) em uma comparação com o ano de 2015. A queda veio logo após ao registro de 2015, quando o setor cresceu apenas 0,3% no total de movimentação de pessoas nos shoppings centers do Brasil.

Essa melhora no fluxo de pessoas em 2017 ocorreu por causa da melhora que houve no comércio de um modo geral. Passado o tempo ruim de crise econômica, o ano de 2017 já pode sentir a retomada da economia através de indicadores como o fluxo de pessoas em locais de comércio como é o caso dos shoppings centers. Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, somente no mês de novembro de 2017 o comércio teve uma alta de 0,7% nas vendas, comparado ao mês de outubro, sendo o melhor resultado obtido para o mês desde o mês de novembro em 2011. Comparado ao ano de 2016, o avanço de novembro de 2017 foi ainda maior, 3,6%.

A pesquisa sobre a movimentação de pessoas nos shoppings centers revelou que em 2017, os shoppings do país registraram um total de 3,56 bilhões de visitas. Segundo a pesquisa, essa movimentação significa um fluxo médio diário de pelo menos 10 milhões de pessoas todos os dias.

O Ibope Inteligência ainda identificou que esse movimento tornou-se mais intenso no segundo semestre de 2017, período em que o comércio registrou maior crescimento nas vendas. Em relação aos meses, a pesquisa revelou que o mês de setembro do ano passado foi o mês que registrou a maior alta no fluxo de pessoas, sendo 4,4% em comparação com o mês de agosto de 2017. O IBGE também revelou que o mês de setembro de 2017 foi o melhor resultado para as vendas do varejo em no ano passado, com uma alta de 6,4% em comparação com o mesmo mês de 2016.

O último registro do ano revelou uma alta de 3,8% no fluxo de pessoas nos shoppings centers. Com a chegada do Natal o fluxo se tornou mais intenso, o que atraiu cerca de 380 milhões de visitas durante o período.

 

Venda de carros usados segui em alta em 2017

2018 começa com grande expectativa no ramo automobilístico. Em 2017 a venda de carros usados cresceu além do esperado, mesmo sofrendo como outros setores as consequências de uma economia que está em crise.

Em comparação com o mesmo período de 2016, o mês de junho de 2017 aponta um crescimento nas vendas de usados em torno de 9.7%. Mas observando o aglomerado em comparação com o ano anterior, houve um aumento nas vendas na casa de 8.6%.

Se havia dúvidas dos economistas mais pessimistas com relação ao setor, já não deve existir mais. Segundo o Presidente da FENAUTO (Federação Nacional das Associações das Revendedoras de Veículos Automotivos), Ilídio dos Santos: “os dados mostram um avanço satisfatória, com variação pequena de mês a mês, mas prosseguindo positivamente. A expectativa é que o mercado continue a crescer.”

Com essa reação o consumidor é que tem a ganhar, pois podem logo no aumento da oferta, comprar carros que apesar de já terem tido outro dono, estar em bom estado de conservação, é a lei custo benefício.

No mês de dezembro o crescimento das vendas de usados superou os demais meses do ano, em comparação a novembro o aumento foi de 15,1%. A esperança do setor está pautada na diminuição das taxas de juros, e na continuidade do crescimento de nossa economia, para que o setor possa apresentar índices ainda melhores em 2018.

Um dos fatores que também barram o crescimento do setor, é o altíssimo preço dos combustíveis, para o consumidor não adianta ter um carro se não tem condições de abastece-lo.

Segundo a FENAUTO foi contabilizada a venda de 14.212.673 carros usados em 2017, desses destaca-se a preferência do consumidor por carros bem mais usados, os preferidos foram os carros entre 9 e 13 ano de uso, entre os seminovos a preferência é por carros de até 3 anos de uso.

A ascensão dos seminovos e usados produzem um efeito contrário no mercado dos zero quilômetros. Com um preço mais atrativo dos seminovos o consumidor sente-se mais seguro, ao invés de fazer um investimento maior num mercado com escarces de credito para financiamento.

 

Sistema sanguíneo pode ser prejudicado com obesidade causando até leucemia

O câncer pode ter suas chances de aparecer devido a obesidade causar prejuízos ao sistema sanguíneo, segundo novo estudo publicado no Journal of Experimental Medicine. Testes realizados com ratos mostraram que o sobrepeso a longo prazo pode prejudicar a diversidade saudável que o sangue produz através da células-tronco hematopoiéticas. O organismo fica mais vulnerável a desenvolver leucemia.

O principal autor do estudo, Damien Reynaud, também pesquisador do Hospital Infantil de Câncer do Sangue Cincinnati, ressalta que o compreendimento das células-tronco é constituído por subconjuntos de células numeradas. “Manter esses compartimentos saudáveis é essencial para saúde humana, incluindo a manutenção do vasto conjunto de estruturas hematopoéticas”.

No teste com ratos foi possível identificar que o estresse oxidativo que tem ligação com a obesidade altera a estrutura celular das células-tronco hematopoiéticas e diminui de maneira progressiva a tendência funcional dessas estruturas. Esses prejuízos a saúde continuaram mesmo após os animais normalizarem o peso através de dietas.

Essas alterações podem ter ligações com a alta expressão de um fator conhecido como Gfi1, segundo os autores, pois esse é um gene que regula os outros genes orientando eles dentre suas funções no corpo. A obesidade por causar estresse oxidativo, leva a superexpressão do Gfi1 no organismo causando um caos celular na produção de sangue.

Essa pesquisa possibilitou a equipe o fornecimento de informações para a verificação, tais como o estilo de vida de cada pessoa, dieta e atividades físicas, podem afetar sua saúde e a formação do sangue. “Sabemos pouco sobre a obesidade em doadores de medula, que pode afetar a qualidade do compartimento de células-tronco hematopoiéticas”, disse o pesquisador que completou  “Queremos entender melhor as alterações moleculares na obesidade para prever riscos potenciais associados ao uso terapêutico de células-tronco isoladas de doadores obesos.”

A leucemia normalmente tem sua origem desconhecida, que ocorre quando os glóbulos brancos são deixados de lado na função de defender o corpo e acabam produzindo de maneira descontrolada na medula óssea.

Um dos principais sintomas da leucemia é infecções frequentes, sangramento gengival e no nariz, marcas roxas pela pele e fadiga. O seu tratamento é realizado fazendo com que a medula volte a produzir células normais e destruir as células doentes.

No ano passado, o Instituto Nacional do Câncer registrou 10.070 casos novos da doença no país, sendo desse total 5.540 homens e 4.530 mulheres.

 

Maior ponte de vidro do mundo com quase quinhentos metros é inaugurada na China

Segundo a rede estatal “CCTV”, a maior ponte feita de vidro do mundo em comprimento foi inaugurada na província de Hebei, na China. São 488 metros de extensão e ela fica suspensa a uma altitude de 218 metros.

Ela foi inaugurada em um evento que contou com a presença de cerca de três mil visitantes, que foram os primeiros a atravessar essa ponte e puderam experimentar uma incrível sensação ao passar pelo piso totalmente transparente, que liga os dois penhascos localizados no Parque Hongya. A ponte foi realizada pela empresa Bailu Group, continuando com a tradição chinesa em construir pontes de vidro, já que existem outras no país, como por exemplo a que fica no Parque Natural de Zhangjiajie e a passarela da Montanha Tianmen, que fica colada a um paredão vertical a uma altura de mais de 1.400 metros.

A ponte possui um piso constituído por 1.077 placas feitas de vidro, com uma espessura de somente quatro centímetros. Elas estão suspensas por uma armação fortificada por doze cabos, que apresentam um peso total de 126 toneladas, e que conseguem aguentar abalos sísmicos de magnitude 6 na escala Richter. A ponte também pode suportar furacões que apresentam força 12, o mais forte na Escala de Beaufort.

A mais nova ponte chinesa foi construída para suportar o peso de mais de três mil visitantes, mas por motivos de segurança de todos os turistas, somente podem passar pela ponte seiscentas pessoas de cada vez, foi o que declarou à “CCTV” o diretor da empresa que realizou as obras, Yang Shaobo.

Segundo ele, diversos trabalhadores irão vistoriar todos os dias as condições da ponte. Os funcionários que fazem parte da segurança vão auxiliar os turistas que ficarem com medo de atravessar a ponte, que de acordo ainda com

Yang Shaobo, ela é totalmente sólida e segura.

Anteriormente a ponte mais extensa de vidro do planeta, era a que fica no  Parque Natural de Zhangjiajie,  possuindo 430 metros de extensão e que também fica em território chinês. Embora ela perca em extensão, esse local que serviu de inspiração para o filme “Avatar” e era onde ficavam as Montanhas Aleluia, ainda vai ser considerada a mais alta, já que essa ponte de Zhangjiajie fica suspensa a uma altura de trezentos metros.

Investimento em aplicativo gera 50 milhões de dólares em fretes por mês

Para investir em um negócio nem sempre o empreendedor precisa estar em uma situação que exija mudanças, esse é o caso de Carlos Mira, presidente-executivo da transportadora da família. Depois que ele conheceu o Vale do Silício no ano de 2011, viu as novas oportunidades que poderia encontrar no ramo de caminhões. Na sua visita ao Vale do Silício, juntamente com outros empresários curiosos, Mira entendeu a capacidade que a tecnologia tem para trazer facilidade para diversas operações e funções. O lugar das empresas que em pouco tempo valiam milhões de dólares chamou a atenção de Mira, então a partir dessa viagem veio a ideia da TruckPad, um aplicativo que conecta o caminhoneiro independente à carga.

O tema da palestra em que presenciou na Universidade de Stanford abordou o potencial que os smartphones podem ter para revolucionar os negócios, especialmente nas áreas de comunicação e economia. No momento da palestra, o empresário se recordou dos problemas para contratar caminhoneiros autônomos. Nos Estados Unidos os smartphones já estavam bem populares, no entanto, no Brasil o uso não era tão disseminado entre os caminhoneiros, que também não tinham interesse em obtê-los.

Depois de voltar da viagem, a ideia que estava borbulhando foi contada para o irmão, a intenção era melhorar a estratégia de entregas da empresa, no entanto, a nova ideia não foi bem recebida, o que fez Mira sair com sua parte da empresa para apostar nessa nova visão como empreendedor.

As ideias de Mira estavam a todo vapor para fazer o TruckPad ser um sucesso, com o pouco conhecimento que tinha na área de tecnologia ele foi buscar por mais. Com o auxílio do Edson Rigonatti, da Astella, ele teve as orientações necessárias para se guiar nessa nova vertente do empreendedorismo, além disso, tanto livros como pessoas influentes na área foram apresentadas a Mira.

Depois de alguns testes com caminhoneiros, ele teve um resultado satisfatório para apresentá-lo aos possíveis clientes. Hoje o TruckPad possui aproximadamente 500 mil downloads, com mais de 8 mil empresas que utilizam o aplicativo, e são mais de 50 milhões de dólares em ofertas de fretes por mês.

 

Felipe Montoro Jens traz informações sobre a construção da Ferrovia Ferrogrão

Ao que tudo indica, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fará em breve um leilão para a construção da Ferrogrão, também chamada por outras denominações, tais como EF-170 ou Ferrovia do Grão. O especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens, reporta que se trata de uma obra de grandes proporções, uma vez que atravessará dois estados, Pará e Mato Grosso. Em relação à extensão do que se planeja conferir ao trajeto ferroviário, há a estimativa de que esta ultrapassará 1.000 km, transitando por áreas de floresta.

Felipe Montoro Jens ressalta que o governo estima que a concessão da Ferrogrão tenha um prazo de 65 anos. Ficou também decidido que o vencedor do leilão será aquele que ofertar o maior valor de outorga, que terá início com um lance de R$ 0,01, mas que deverá ser sucedido por outros lances muito maiores, esclarece o especialista em Projetos de Infraestrutura. Além de construir a ferrovia, a concessionária vencedora responderá pelas atividades de operação da ferrovia.

Para que os planos da ANTT sejam postos em prática, já começaram os estudos para análise das condições de viabilidade da obra. Este e outros empreendimentos são parte integrante do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), promovido pelo governo federal. No caso da Ferrogrão, o montante a ser investido é de pouco mais de R$ 12 bilhões, dadas as grandes proporções da obra. Felipe Montoro Jens destaca que o retorno sobre o investimento, por sua vez, virá das atividades de exploração da ferrovia.

O valor investido, conforme informações contidas no portal do PPI, não se restringirá apenas à construção da nova ferrovia. Segundo informa o programa governamental, o investimento deverá contemplar também os serviços de desapropriações, terraplanagem, sinalizações da área, compra de materiais, contratação de mão de obra, além de outras ações específicas. Com isso, estima-se que as construções suscitem uma grande movimentação econômica na região que abrigará a Ferrogrão.

Em 2018, ainda no primeiro trimestre do ano, espera-se que o edital seja publicado e traga todos os trâmites que farão parte do processo de concessão. Felipe Montoro Jens informa que, até o momento, o que se sabe é que a incumbência pelo sistema de remuneração dos agentes que atuarão na construção da ferrovia ficará a cargo da empresa vencedora do leilão, bem como todos os riscos que o empreendimento poderá correr em seu curso.

Embora ainda se trate de um projeto, especialistas realizaram alguns estudos acerca do potencial de operação da Ferrogrão. Dentre os dados levantados, apurou-se que a ferrovia será capaz de transportar cerca de 25 milhões de toneladas de cargas que atravessarão o local anualmente. Felipe Montoro Jens pontua que o volume de transportes poderá sofrer sucessivos aumentos até o ano de 2050, quando se espera que atinja seu ápice.

 

Brasil é o país mais caro para comprar um iPhone X

Ainda sem uma data de lançamento no Brasil, o iPhone X, aparelho mais atual da Apple, é um dos principais e mais esperados lançamentos da marca. Com o preço que é cobrado pelo aparelho o país alcança a primeira posição de mais caro do mundo. Até o fim de outubro o país com o iPhone mais caro da lista era a Hungria, mas perdeu uma posição para o Brasil quando os valores foram atualizados.

Uma das causas do alto valor dos smartphones da Apple é a alta carga tributária sobre dispositivos eletrônicos como os da marca. Visto com um aparelho de luxo, o novo smartphone se tornou somente acessível a uma determinada classe social da sociedade. As pessoas que desejam comprar o novo iPhone X precisam contar uma boa renda.

Depois da Hungria que vende o aparelho 400 dólares mais caro que nos EUA, quem segue na lista são os países: Dinamarca, Suécia e Itália são os países que também se encontram entre os primeiros da lista de mais caros para comprar um iPhone X.

O alto valor do lançamento da Apple explica porque a empresa não tem um público amplo no Brasil, o que reduz o nível de vendas e a participação do mercado. Em uma pesquisa realizada pela consultoria Gartner, apenas 5,3% dos smartphones vendidos no país são da Apple. Desde o ano de 2011, época em que lançava o iPhone 4S, a participação da empresa no mercado nacional está caindo, foram quase cinco pontos percentuais até o momento.

A alta taxa de impostos é o fator que encarece os produtos da Apple que se tornam mais caros que nos países desenvolvidos, afirma Tuong Nguyen, analista de pesquisas da Gartner.

Por estar tão caro, os produtos da Apple apenas atraem o público das classes A e B no Brasil, o que enfraquece a participação da empresa no mercado se for feita uma comparação com empresas como a Samsung, com uma maior oferta de aparelhos acessíveis para diferentes tipos de público. Muitas vezes adquirir um produto como o iPhone X fora do país se torna mais vantajoso para o consumidor.

 

Encontro no Rio de Janeiro aborda indicadores ambientais e Agenda 2030

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, recebeu representantes de institutos nacionais voltados para estatística e ministérios do meio ambiente dos países que fazem parte do Caribe e da América Latina. Na reunião, eles discutiram questões sobre o ODS – Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, acesso a dados e informações ambientais e cooperação junto a parcerias firmadas.

O encontro foi em um workshop realizado no Rio de Janeiro no dia 15 de dezembro de 2017, que teve o incentivo da ONU Meio Ambiente – Organização das Nações Unidas Meio Ambiente – e da Cepal – Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, junto ao MMA – Ministério do Meio Ambiente.

O encontro teve início com a participação de Roberto Olindo, presidente do IBGE, junto a Wadih Scandar Neto, diretor de Geociências, e representantes do Cepal, do Ministério do Meio Ambiente e da ONU Meio Ambiente. Um número de 50 representantes deixaram suas opiniões e compartilharam sua ideias, desafios, na luta a favor de melhores resultados para o meio ambiente, durante o evento que prosseguiu por cinco dias.

“Quando tratamos de informação ambiental, uma das questões centrais é a colaboração entre instituições. Uma das características é a diversidade das formas de obter informações primárias: direta, remota, por satélite. Existe uma diversidade de formas de obter e de cada instituto produzir suas estatísticas. Esse encontro tem o mérito de integrar os órgãos. Estamos seguros que com a cooperação é possível. Acho que vamos chegar a um bom resultado. Há várias iniciativas para produção de dados e indicadores. Para todos os países é um desafio muito grande conseguir monitorar os ODS”, explicou Wadih.

Esse encontro é mais um grande passo para que novas políticas e formulação de melhores indicadores possibilitem um monitoramento mais preciso do cumprimento das 169 metas direcionadas aos 17 ODS determinado pela ONU. Esses indicadores são essenciais para que os países participantes consigam saber em que estágio do cumprimento da Agenda 2030 se encontram. Esse encontro também tem como objetivo a oportunidade de difundir cada vez mais as ideias sobre o meio ambiente e suas questões. Conseguir fazer com esses dados sejam padronizados e cheguem em um denominador comum, é um dos principais objetivos.

 

Beneficiários do Bolsa Família têm melhor frequência escolar desde 2007

Dos 13 milhões de alunos que recebem o Bolsa Família e o acompanhamento da rede municipal e estadual de ensino, 95% estão com a frequência escolar em dia nos meses de agosto e setembro deste ano. Esse é o segundo melhor resultado no período desde 2007, segundo informações do Ministério do Desenvolvimento Social, em 2017 até o momento.

Uma grande parte dessas crianças tem pais analfabetos ou semianalfabetos e essa não pode ser uma condição punitiva. “São famílias que precisam do apoio do Estado para que as próximas gerações tenham melhores condições de escolarização. Muitas vezes as crianças dessas famílias repetem ou abandonam, desistem da escola. Todos têm que ter uma trajetória escolar regular e essa iniciativa apoia, nesse sentido, visando ao acesso e à permanência na escola”, disse o diretor de políticas de educação em direitos humanos e cidadania da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do MEC, Daniel Ximenes.

Os alunos acompanhados fazem parte dos condicionados no programa do Bolsa Família que assumem compromissos com o poder público. O objetivo é estimular as crianças a terem acesso a educação e permanecerem nas escolas e com isso colaborar com as famílias na quebra do ciclo de pobreza, explica o diretor do Condicionalidades do ministério, Eduardo Pereira. “Acreditamos que esses resultados mostram a eficácia do programa em manter as crianças na escola. A progressão escolar, que decorre da frequência escolar, leva a criança a se tornar um adulto mais instruído e com capacidade de se inserir na sociedade de forma produtiva”, ressalta Eduardo.

De acordo com o ministério, há casos de crianças que não tem a sua frequência escolar acompanhada devido a troca de instituição de ensino ou de cidade sem a informação chegar a rede de educação. É de extrema importância que as famílias comuniquem as escolas que os filhos são beneficiários do programa e que mantenham o Cadastro Único sempre atualizado quando tiver alterações de escola e endereço.

Existem outras regras que são estabelecidas para os beneficiários do programa Bolsa Família, tais como a vacinação que deve estar sempre em dia, o acompanhamento médico das crianças e, no caso das gestantes, deve haver um acompanhamento do pré-natal. Quando o bebê nasce, as mamães devem participar das atividades educativas sobre o aleitamento materno e a sua importância.